Dez tijolos caseiros

I.
As coisas lá em casa
nós tendenciamos quando novas
Depois de uma semana velhas lá em casa
nós as santificamos
Ficam sem notadas quando vistas.

II.
Lá em casa filho dos outros
é igual a gente grande
Fica acanhado e não voa

III.
Velório em casa de gente
já fomos na casa dos vinte
Lá em casa um nunca teve
Porque em casa nossa
gente é distraída.

IV.
Quando amanhece lá em casa
são quaisquer horas em outras casas
Porque tem-se mania de lá em casa
Não se saber olhar relógios.

V.
Lá em casa quando morrem
os bichos levam a Deus um pedido
de que não lhes troque as partes mais bonitas
Depois sonhamos com homens lustrosos de pêlo
falando de quintal nas almas.

VI.
Queria me desfazer das palavras
mas fui treinada pra amante
Em casa nossa não se usam letras
Lá não temos idades.

VII.
Lá em casa percorremos quilômetros
Nós trapaceamos
pra morarmos juntos.

VIII.
A razão de todas as coisas
lá em casa nós somos sabidos
Adestramos os nossos hábeis
focinhos usando ternura.

IX.
Cozinha-se lá em casa
à medida em que se vai comendo
Nas secas não se apanelam
comemos desejos crus.

X.
Tinha-se o vizinho com gaiolas
que em meu quarto soltou os canários
Disse que pra que fossem livres
e infinitamente breves.



Na página "Por Outros", o carinho lançado pela brilhante amiga Márcia Shoo.




(Chagal)

Um homem atravessado por um rio plangia águas salgadas.