temas para nina rizzi - um



[o rebanho nu]



somente vogais são palavras
aproxima-se um lento rebanho
mudos dentes, palato, tratasse
dist’então minh’então desventura,
mas nem tão se carregam sozinhas
quanto em só já pertençam-se suas

levantam-se pororocas
e delas, abluídas,
emergem vogais despidas
a soar como quem se acorda

eis a só sinonímia possível
quando trota o rebanho em plurais
trotem cais, trotem sais, restam ai
nasçam ai, cresçam ai, morram ai
comam ai, corram ai, riam ai
os mares salgados ai,
veleiros atracam ai

não engole – dizem – tua saliva
de vogal não passa tua palavra
aproxima o rebanho baboso
e à boca encharcada se engorda
trotem sais, trotem cais restam ai
os mares salgados ai
veleiros atracam ai.

(Carolina Caetano)


quando aquela russinha subiu
a passos lentos
a escadinha tão pequenina do casario
ninguém sabia que ela era ela
a russinha com a vozinha tão esganida e rouca
dessa dubiedade de estraçalhar vidros, zunir
ouvidos e querer morrer.

é certo que seus passos não combinassem
co'a vozinha. tanto faz, ela pouco e quase
nunca palavra dizia. só duas, olvidas.

vinha com os passinhos assim bem arranjados
passinhos de bailarina dessas caixinhas
de música que já não existem mais senão
em frança. em frança, que era de uma musiqueta
popular daqueles idos, nada
tão certo quando os passos dela. precisos.

subiu a escadinha, os passos lentos
coisa com coisa disse e o todo e largo olviu

- rebanho nu.

(Nina Rizzi)