cerenô gaio


 para o paco de lucia 


Cueva del Gato
seu ruído anchos
veleiros rasgando
meus paleios anos
meu hermano chora
seu irmão chorando
quando vim, cê quando
foi, e nessas horas
só pele ribomba
só corda que estoura
quem nasce demora
quem morre arrevoa
mas chora a viola
que co’a vida toa
e se é triste chora
e chorai se é boa