08.01.2015

para magnina

tinha um jaguar hoje de manhã
sob a pele do pescoço
o seu
tinha uma veia mais que todas
do jaguar
pulsando um sangue custoso
sob a pele do pescoço
o seu pescoço
guarda um jaguar
dormindo louco
hoje a manhã de cabeça pendendo
um pêndulo bêbado
me envergava e eu sabia
que era preciso correr sobre a cama
encontrar os dias
que dormem conosco
eu toquei o jaguar com dois dedos
sujos
e abracei sua casa
e cheirei o seu corpo até o fim
eu toquei o jaguar e a manhã arredou-se
e arrepiamos ao ouvir
a palavra trabalho
é tão frio tomar o dia nas mãos
e apertá-lo
c'os dedos sujos
e dizer são horas
e arrepiamos ao ouvir seu jaguar
me dizer vai embora
as horas
querem passar